Os parques foram abandonados na gestão passada, diz Gilberto Natalini

Gilberto Natalini

Gilberto Natalini (PV)

Gilberto Tanos Natalini tem 65 anos, é casado e pai de 2 filhos. É Médico Cirurgião Geral, formado pela Escola Paulista de Medicina em 1975, e desde 1976 atende gratuitamente no Ambulatório Médico do Centro Social Bom Jesus do Cangaíba. Em Santo Amaro/SP atende há 28 anos em seu consultório particular.

Na juventude, participava das ações estudantis pelas liberdades democráticas no país, participava de movimentos populares, fundando e presidindo a Associação Popular de Saúde.

Sua carreira como Vereador começou no ano 2000, foi eleito em 02 de outubro, na época estava coligado ao PSDB. Foi reeleito vereador em 2004 e 2008, em 2011 afiliou-se ao Partido Verde (PV) no qual permanece até hoje. Já em um novo partido, Natalini se reelegeu novamente em 2012 e 2016. Hoje está licenciado do mandato de vereador, pois é o Secretário do Verde e do Meio Ambiente da cidade de São Paulo/SP.

Entrevista

1. Por que e para que ser Vereador? O que você ainda tem a fazer que não tenha feito nos últimos 16 anos de mandato?

Entendo que, como médico eu posso ajudar milhares de pessoas, mas um a um. Como vereador, com um bom projeto de lei por exemplo, é possível ajudar milhares de pessoas de uma só vez. Esse é o caso de leis de minha autoria, como da Água de Reuso para lavagem de feiras e ruas,que já economizou bilhões de litros de água potável. Tenho também a Lei da Psoríase, que com uma política pública voltada às pessoas com a doença, muita gente já pôde ser beneficiada. Estou licenciado do mandato de vereador, pois no final de 2016, fui convidado pelo Prefeito João Doria a assumir a Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente.

2. Como médico formado, quais suas sugestões para o melhoramento da saúde no país, quais os investimentos que os governos deveriam fazer?

Eu sou um defensor pela aplicação de ao menos 10% da verba do governo federal para o SUS. Sem isso, os estados e municípios nunca darão conta das necessidades na área da saúde, mesmo que cumpram a lei destinando 12% e 15% respectivamente do orçamento. Muitos estados e municípios investem mais do que a exigência da lei, mas mesmo assim, não conseguem prestar um serviço de saúde adequado.

3. Quais as principais dificuldades que você encontrou nos seus 4 mandatos como Vereador da maior cidade do Brasil?

A corrupção é o maior problema do Brasil. Vencê-la e trabalhar de forma ética e correta é a maior dificuldade, mas tenho feito isso de cabeça erguida. “Sou como um carro velho, sem um arranhão na lataria”.

4. Para você, quais medidas são necessárias para melhorar o Meio Ambiente na capital paulista?

Agora como Secretário do Meio Ambiente estou conseguindo alcançar algumas melhorias, mas não é fácil. Recebemos uma herança complicada da gestão anterior. Estamos trabalhando firme para recuperação dos 107 parques da cidade, retomando o Comitê de Mudanças do Clima e Ecoeconomia, programas importantes como Córrego Limpo e Defesa das Águas, em parceria com o governo do Estado, arborizando a cidade e cuidando das árvores, ampliando a educação ambiental na cidade através de diversas mídias e aplicativos, e um dos meus sonhos é fazer um inventário dos gases de efeito estufa. Além disso temos diversas ações em parceria com outras secretarias, como alteração da matriz dos ônibus para combustível limpo, educação ambiental nas escolas, ampliar a reciclagem de lixo, e por aí vai.

5. No dia 28 de março de 2017, em sua rede social (Twitter), publicou a seguinte opinião: “Tem sido muito difícil recuperar o estrago que a gestão passada deixou nos 107 Parques de S. Paulo”. Com isso, gostaria que você explicasse quais os estragos que foram ocasionados nos parques de S. Paulo na gestão passada com o Prefeito Fernando Haddad do PT.

Os parques foram abandonados na gestão passada. Muitos estão sem contratos de manejo e vigilância desde agosto, o que ocasionou muitos estragos. Fora o mato alto, teve entupimento dos encanamentos e falta de poda de árvores, além do abandono que levou até a invasão por pessoas em situação de rua em alguns parques. Os estragos são enormes. Estamos em processo de licitação para contratação das novas equipes, mas isso leva um tempo e nesse momento estamos trabalhando com uma situação de emergência, com mutirões populares, ajuda de empresários e também de outros órgãos de governo.

6. Qual a sua opinião do atual momento político em que estamos vivendo? O que você tem a falar dos escândalos de corrupção e qual sua opinião em relação a Operação Lava-Jato?

Eu sou totalmente a favor da Lava Jato, eles não podem esmorecer. Sou a favor que todo corrupto pague pelos seus atos, seja quem for, de que partido for. O momento é dramático, mas tenho esperança que conseguiremos mudar a realidade do nosso país.


Nota: O Radar Político agradece a espontaneidade e o profissionalismo do Sr. Vereador e Secretário do Verde e do Meio Ambiente de São Paulo/SP, Gilberto Natalini, em ter cedido esta entrevista via email.

Anúncios

2 comentários sobre “Os parques foram abandonados na gestão passada, diz Gilberto Natalini

  1. A crítica não é pessoal. Procuro algo que o PV quanto partido tenha executado no país que tenha ao menos amenizado alguma de nossas mazelas relacionadas ao meio ambiente.

    Controlar, Mariana, lixo, lixo, entulhos, desmatamento, poluição sonora, córregos, rios, e outros…

    Não sob o ponto de vista do partido, mas algo que a sociedade perceba, sem a necessidade do discurso…

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s